Uma Palavra

Não sei,
você deve ser
uma palavra.
dita suave
de lábios febris
e vapor de frio
na pronúncia.

Uma palavra escura.

isenta dos

dogmas gramaticais
munida de soluços secos
e dimensões in-proporcionais

Uma palavra pequena que
nao cabe na boca
nem no papel
mas é dita pela grama
orada pelos hereges.
e declarada pelas constelações

Palavra grande
que desperta a revolução
no alvorecer do fim do mundo
e consola os demônios
no deleitar da escuridão

repetida
transcrita
desenhada
antes e depois
do tempo e dos deuses
passando por gerações de
meninas grávidas
e poeira cósmica sem vida

Uma palavra, meu bem
que ressuscitará perfumes antigos
e abraços tão fortes em pontos de ônibus

Um palavra dita ao ouvido
baixinho
preencherá de poesia
os pulmões de Deus

o fazendo criar mundos com flores e saias
dos mesmos cheiros e contornos dessa palavra

Uma palavra à prova de silêncio
mas que que o silêncio também diz
profere chorando até suas lágrimas
matarem a cede do tempo-espaço-amor

Uma palavra.
Pena os mortos não falarem.

(Poeta Bastardo)



Categoria: Poesia |
| Postado em: 30.08.11
Página 3 de 3123