8 quartetos

Tenho um tumor benigno no canto direito da mandíbula
Uma porção de literatura infantojuvenil
47 quilos de república desunida
E um peito vazio de inspiração

Mas espere
Tem tanta guerra interior
Nas esquinas com bares boates
E senhoras que criam seus sobrinhos

Mas espere
A manhã chegou tão vigorosa e vermelha.
Como se não houvesse miséria e espanto; esquina e devaneio
Centelha de vidro

Tem tanto amor não sei de onde neste peito vazio
Neste cardíaco de um só quarto e tanto afeto para um só beijo sem sabor discernível.
Pra um só sorriso que iluminará de beleza e simplicidade
Minhas manhãs cor de jornal de meu futuro turvo e egoísta.

Como estrela
Como tartarugas no infinito azul
Como flor;
Nascida no gelo cortante; veneno e arrepio

Espero e vejo
Não é mais turva a visão da ilusão
É pueril de leveza e fantasia
Que tal beijo sem sabor

Enfeitou de vida e calor
Colar querido
E rancor
Em forma de luz castanha e viva.

(Poeta Bastardo)



Categoria: Poesia |
| Postado em: 23.12.12

Deixe seu comentário